Antonina

Brasão

O brasão de Armas trata-se de um escudo ovalado retratando a Baía de Antonina tendo ao fundo colinas verdejantes que caracterizam seu perfil, sob o céu iluminado pelo sol nascente, que se reflete no mar onde uma nau com velas enfunadas navega por entre ilhas da Baía. O brasão é sustentado por uma âncora da qual se vê o suporte com o topônimo Antonina, e as garras, ladeando o brasão uma haste de cana-de-açúcar à direita e uma haste de arroz à esquerda, ambas ao natural, sobre o listel vermelho com letras argentas traz escrita a data de emancipação política de Antonina, 6 de novembro de 1797.
O escudo ovalado representativo do brasão de Antonina é contornado por um filete vermelho que significa proteção. As colinas verdes simbolizam a esperança, as ilhas à entrada da baía mostram o caminho de penetração dos povoadores, nuvens brancas sobre o céu, representam promessas de paz, o sol iluminando o céu e o mar, dourando os dois infinitos simboliza a perpetuação da história e das tradições. Os ornamentos exteriores, as hastes da cana-de-açúcar e arroz representam os produtos da terra, assim como a âncora que sustenta o brasão representa o esteio da economia municipal.

Bandeira

Fundo azul celeste, com 4 faixas brancas dispostas do meio par a barra em ordem crescente, sobre elas aplicado ao centro o Brasão Municipal.
Justificativa e simbolismo: a bandeira é constituída de um campo azul celeste, atravessado por quatro faixas horizontais em ordem crescente do meio para a barra. O brasão central representa a comunidade histórica de Antonina, o fundo azul celeste simboliza o céu. As fixas brancas que a atravessam simbolizam a estabilidade de governo em paz e trabalho em busca de prosperidade.